“Não desejo outra coisa senão amar”: Bem-aventurada Maria Gabriella Sagheddu

A Irmã Maria Gabriela nasce na Sardenha, Itália, no dia 23 de abril de 1914, de uma família de pastores. Aos dezoito anos vive uma forte experiência de conversão, que a leva a querer dedicar-se mais intensamente a Deus. Inscreve-se na Juventude Feminina da Ação Católica, onde se dedica de modo especial à catequese. Aos vinte anos decide entregar-se inteiramente a Deus na vida monástica, e ingressa no mosteiro de Grotaferrata (hoje Mosteiro de Vitorchiano).

No mosteiro, sua vida parece orientada por dois princípios essenciais:

O primeiro é sua gratidão pela Misericórdia de Deus que a envolve, e a chama a pertencer exclusivamente a Ele. A Irmã Maria Gabriella sempre se comparava ao Filho Pródigo, e não se cansava de dar graças pela vocação monástica.

O segundo é o desejo de responder com todas as suas forças a essa Misericórdia: que se cumpra nela a vontade de Deus, pois somente nela se encontra a verdadeira paz.

Vitorchiano-sol-8-800x600_c

Oração no claustro, Mosteiro de Vitorchiano

Após um retiro pregado pelo Padre Couturier, um grande pioneiro do ecumenismo e apóstolo incansável da causa da restauração da Unidade dos Cristãos, este apresentou à comunidade um pedido especial de orações e sacrifícios nesta intenção. A Irmã Maria Gabriella sentiu-se irresistivelmente chamada a oferecer sua vida pela unidade dos Cristãos. “Sinto que o Senhor me pede isso”, confia ela à sua abadessa.

Através de um caminho rápido e direto, associado a uma grave enfermidade, sempre em perfeita obediência a Deus e consciente de sua própria fragilidade, a Irmã Maria Gabriella alcança aquela liberdade interior que a leva a conformar-se com Jesus que, “tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim”.

Na tarde do dia 22 de abril de 1939, aos vinte e cinco anos de idade, a Irmã Maria Gabriela concluiu sua breve vida, enquanto os sinos do mosteiro tocavam para as Vésperas do Domingo do Bom Pastor, cujo evangelho do dia proclamava: “E haverá um só rebanho e um só Pastor”.

Vitorchiano-sol-18-800x600_c

Procissão, Mosteiro de Vitorchiano

Antes de deixar este mundo, a Irmã Maria Gabriela fez um pedido solene a Deus que, uma vez que ela estivesse no Céu, ela intercedesse de modo especial pelas vocações de seu amado mosteiro. Seu pedido foi aceito pelo Senhor. Após sua morte o mosteiro passou a receber um afluxo prodigioso (poderia se dizer miraculoso) de vocações. A partir daí, o mosteiro de Vitorchiano passou a levar a vida monástica cisterciense aos quatro ventos: Argentina, Chile, Venezuela, Itália, África, Filipinas, Indonésia, Síria, República Tcheca.

O mosteiro de Nossa Senhora da Boa Vista, em Rio Negrinho, Santa Catarina, pertence a essa linhagem – sendo, também ele, fruto da fecundidade espiritual da Irmã Maria Gabriella.

Beatificada por São João Paulo II no dia 25 de janeiro de 1983, a Irmã Maria Gabriella é uma importante padroeira e intercessora da causa da restauração da Unidade dos Cristãos. A Igreja celebra sua memória do dia 22 de abril. ⊕

Maria_Gabriella_Unita+

Capela da Unidade, no Mosteiro de Vitorchiano, onde se encontra o corpo intacto da Irmã Maria Gabriella

Oração

Ó Deus, pastor eterno, que suscitastes na Bem-aventurada Maria Gabriella o desejo de oferecer a própria vida pela restauração da Unidade dos Cristãos, fazei com que, por sua intercessão, chegue logo o dia no qual, em volta da mesa da Palavra e do Pão, todos os Vossos filhos vos louvem com um só coração e uma só alma. Amém. 

Anúncios

6 comentários sobre ““Não desejo outra coisa senão amar”: Bem-aventurada Maria Gabriella Sagheddu

  1. A Paz!
    Assim seja, a sermos um só coração e uma só alma +
    Obrigada pelo artigo!
    É interessante conhecer um pouco da vida da Beata Maria Gabriella e da sua ajuda às vocações e do desejo que se faz tão atual da unidade da Igreja.

    Outra santa que também nos traz um chamado muito atual é Santa Lutgarda.
    Assim que possível, deixo a sugestão da publicação de algum artigo sobre a vida de Santa Lutgarda de Aywieres para que nos ajude e ensine na oração pela conversão dos pecadores e perdão das almas do purgatório.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Inspirador! Ela mesma foi citada na última Exortação Apostólica do Papa Francisco, a Gaudete et Exsultate:
    5. Nos processos de beatificação e canonização, tomam-se em consideração os sinais de heroicidade na prática das virtudes, o sacrifício da vida no martírio e também os casos em que se verificou um oferecimento da própria vida pelos outros, mantido até à morte. Esta doação manifesta uma imitação exemplar de Cristo, e é digna da admiração dos fiéis.[2] Lembremos, por exemplo, a Beata Maria Gabriela Sagheddu, que ofereceu a sua vida pela unidade dos cristãos.
    Muito grato pelo artigo e que Deus os abençoe.

    Curtido por 1 pessoa

    • Sim, o papa Francisco menciona a Irmã Maria Gabriella na sua última encíclica, Gaudete et Exsultate..
      São João Paulo II, que a beatificou, também fala sobre ela no belíssimo documento “Ut unum sint” (Que sejam um), n. 27.
      Esse documento é leitura obrigatória para quem se interessa pelo tema da restauração da Unidade dos Cristãos.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s