Os Fundadores de Cister (IV): O legado dos Fundadores

Letra-M-capitularuitas famílias religiosas e fundações monásticas não resistiram ao choque do decurso dos anos. Cister, apesar de todas as vicissitudes sofridas ao longo de seus nove séculos de existência, continua a ser aquela árvore fértil que produz bons frutos. Antes de tudo, pode-se falar de sua espiritualidade. O patrimônio espiritual cisterciense continua a ser um riquíssimo tesouro da  Igreja, não só com seus grandes escritores espirituais do século de ouro de Cister, o século XII, como Bernardo de Claraval, Elredo de Rievaulx, Guilherme de Saint-Thierry e Guerrico de Igny, para ficar nos mais conhecidos, mas com toda uma série de monges e monjas que deixaram escritos que transmitem, antes de tudo, sua profunda experiência espiritual, série, aliás, que chega até nossos dias e que atesta o vigor ainda atual da família cisterciense. Seus mosteiros estão espalhados por todo mundo e, ainda que a Igreja na Europa viva um momento de forte crise vocacional, Cister, sobretudo nas duas ordens que compõe o que se denomina hoje a “família cisterciense”, frutifica nas jovens Igrejas da Ásia e da África.

Os cistercienses da atualidade continuam a ser, nos seus diversos mosteiros, aqueles que buscam a Deus e dão testemunho Dele num mundo em que os sinais de sua graça e de seu amor são cada vez mais ofuscados pelo secularismo, hedonismo, individualismo e relativismo, as grandes pragas de nosso tempo. Num mundo assim, são referências estáveis e visíveis do absoluto de Deus que procura os homens e deseja salvá-los, para que sejam introduzidos na comunhão eterna de amor e felicidade da Trindade Santa, Pai, Filho e Espírito Santo.

Oracao-Santos-Fundadores

Leia mais:

Anúncios

4 comentários sobre “Os Fundadores de Cister (IV): O legado dos Fundadores

  1. Pingback: Os Fundadores de Cister (III): S. Estevão Harding | Schola Christi

  2. Pingback: Os Fundadores de Cister (II) : S. Alberico | Schola Christi

  3. Pingback: Os Fundadores de Cister (I) : S. Roberto de Molesmes | Schola Christi

  4. Os monges são bênçãos do amor divino em nosso mundo pecador. Os momentos de espiritualidade que passei no Mosteiro Trapista de Campo do Tenente, estão entre os mais felizes de minha vida. Doces lembranças que guardo em meu coração.
    Obrigada a todos os monges, pelo sim generoso ao Senhor.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s